[1]
M. L. Lourenço, “Equações do primeiro grau: uma resolução muito antiga”, REMat, vol. 6, nº 4, p. 51 - 56.