O AprenderEnsinar Geometria nos anos iniciais e o trabalho colaborativo no início da docência à luz da base de conhecimento para o ensino de Lee Shulman

  • Gislaine Aparecida Puton Zortêa Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", UNESP, Ilha Solteira-SP.
  • Klinger Teodoro Ciríaco Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, São Carlos-SP.
Palavras-chave: Início da docência, Grupo colaborativo, Pensamento geométrico, Bases de conhecimento para o ensino

Resumo

Compartilhamos encaminhamentos e resultados de um estudo de mestrado, defendido em maio de 2018, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Ensino e Processos Formativos da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP, Ilha Solteira), que objetivou compreender o AprenderEnsinar Geometria no início da docência por professoras integrantes de um grupo colaborativo. Para este texto, dado recorte do trabalho, tomamos como objeto de análise as aprendizagens de Paula uma professora participante do "Grupo de Práticas Colaborativas em Educação Matemática nos anos iniciais" (GPCEMai-UFMS). A abordagem metodológica é de natureza qualitativa, na modalidade da pesquisa-ação estratégica, em que procurou-se desenvolver práticas pedagógicas e despertar o olhar para relevância do desenvolvimento do pensamento geométrico dos alunos na perspectiva de Van Hiele. Sobre os resultados, articulamos recomendações da abordagem de aspectos e características/atributos definidores da Geometria com as bases de conhecimento para o ensino de Lee Shulman: o conhecimento pedagógico, específico e curricular de conteúdo. Em síntese, dada a experiência de colaboração vivenciada pela docente, é possível concluir que o estudo empreendido nas sessões de planejamento e elaboração de tarefas possibilitou compreender os princípios estruturadores do desenvolvimento do pensamento geométrico, os quais foram objeto de reflexão no compartilhar das ações no espaço do grupo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gislaine Aparecida Puton Zortêa, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", UNESP, Ilha Solteira-SP.

Professora de Educação Infantil do quadro efetivo da Rede Municipal de Naviraí, Mato Grosso do Sul (MS). Mestre em Ensino e Processos Formativos pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - UNESP/IBILCE/InterUnidades - na linha de pesquisa "Educação Matemática"; Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul - UFMS, Câmpus de Naviraí. Integrante do "MANCALA - Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática, Cultura e Formação Docente" (CNPq/UFSCar). 

Klinger Teodoro Ciríaco, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, São Carlos-SP.

Pedagogo (UFMS), Mestre e Doutor em Educação pela Faculdade de Ciências e Tecnologia de Presidente Prudente (SP) da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - FCT/UNESP. Professor Adjunto do Departamento de Teorias e Práticas Pedagógicas - DTPP - do Centro de Educação e Ciências Humanas - CECH - da Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, São Carlos-SP. Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática da UFMS, Campo Grande-MS. Líder do "MANCALA - Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática, Cultura e Formação" (CNPq/UFSCar).

Referências

ALMEIDA, M. B. LIMA, M. G. Formação inicial de professores e o curso de pedagogia: reflexões sobre a formação matemática. Ciência e Educação, Viçosa, MG, v. 18, n. 2, p. 451-468, 2012.

BATISTA, C. M. de S. Percepções e conhecimentos de professoras que ensinam Matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental acerca do ensino de números e operações. 2012. 148f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Instituto de Matemática da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. INAM/UFMS. Campo Grande-MS. 2012. Disponível em: https://posgraduacao.ufms.br/portal/trabalho-arquivos/download/1834. Acesso em: 10, jun. 2016.

BITTAR, M.; FREITAS, J. L. M. de. Fundamentos e metodologia de Matemática para os ciclos iniciais do Ensino Fundamental. 2. ed. Campo Grande MS: Ed. UFMS, 2005.

BRASIL, Ministério da Educação e Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1997. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro03.pdf. Acesso em: 23, jul. 2016.

BROITMAN, C.; ITZCOVICH, H. Geometria nas séries do Ensino Fundamental: problemas de seu ensino, problemas para seu ensino. In: PANIZZA, M. Ensinar Matemática na Educação Infantil e nas Séries Iniciais: análise e propostas. 2006. p. 169-188.

CIRÍACO, K. T. Professoras iniciantes e o aprender a ensinar Matemática em um grupo colaborativo. 2016. 334f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho". FCT/UNESP. Presidente Prudente-SP. 2016. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/139512/ciriaco_kt_dr_prud.pdf?sequence=3&isAllowed=y. Acesso em: 15, set. 2016.

CURI, E. Formação de professores polivalentes: uma análise de conhecimentos para ensinar Matemática e de crenças e atitudes que interferem na constituição desses conhecimentos. 2004. 278f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. PUC/SP. São Paulo-SP. 2004. Disponível em: http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/2010/artigos_teses/MATEMATICA/Tese_curi.pdf. Acesso em: 5, abr. 2016.

FELIX, E. AZEVEDO, A. J. de. Geometria: como trabalhar os conceitos geométricos nas séries iniciais do Ensino Fundamental. Revista Científica de Ciências Aplicada da FAIP, Marília, p. 1-14, 2015. Disponível em: http://faip.revista.inf.br/imagens_arquivos/arquivos_destaque/5IUql47VQIzMdeH_2015-5-18-22-1-56.pdf. Acesso em: 10 maio 2017.

FONSECA, M. da C. F. R.; LOPES, M. da P. L.; BARBOSA, M. das G. G.; GOMES, M. L. M.; DAYRELL, M. M. S. S. O ensino de Geometria na Escola Fundamental: três questões para a formação do professor dos ciclos iniciais. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

FRANCO, M. A. S. Pedagogia da pesquisa-ação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 3, p. 483-502, set./dez. 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ep/v31n3/a11v31n3.pdf. Acesso em: 13, mar. 2017.

FREITAS, M. N. C. Organização escolar e socialização profissional de professores iniciantes. Cadernos de Pesquisa. n. 115, p. 155-172, março/2002. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/cp/n115/a06n115.pdf. Acesso em: 23, fev. 2016.

FULLAN, M.; HARGREAVES, A. A escola como organização aprendente: buscando uma educação de qualidade. 2. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

GRAÇA, A. B. S. O conhecimento pedagógico do conteúdo: o entendimento entre a pedagogia e a matéria. In: GOMES, P. B.; GRAÇA, A. B. S. (Org.). Educação física e desporto na escola: novos desafios, diferentes soluções. Porto: FCDEF/UP, 2001. p.107-120.

GROSSMAN, P. L. The making of a teacher: teacher knowledge and teacher education. New York: Teachers College Press, 1990.

GROSSMAN, P. L., WILSON, S. M.; SHULMAN L. S. Teachers of Substance: subject matter knowledge for teaching. In: REYNOLDS, M. C. (Ed.). Knowledge base for the beginning teacher. New York: Pergamon Press, 1989. p.23-36.

HUBERMAN, M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, A. Vidas de professores. Porto: Porto, 1995. p.31-61.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MACIEL, E. M. de M.; MACIEL, A. de M. A Geometria nos palitos de fósforo e canudos. In: Anais... X Encontro Nacional de Educação Matemática – X ENEM. 2010, Salvador: BA, 2010. p.1-6. (CD-ROW).

MORAES. M, S, S. PIROLA, N. A. Atitudes positivas em relação à Matemática. In: BRASIL, Ministério da Educação. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Alfabetização matemática na perspectiva do letramento. Caderno 07. Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão. Brasília, DF: MEC, SEB, 2015. p.62-72.

MUNIZ, C. A. Explorando a Geometria da orientação e do deslocamento. In: BRASIL, Ministério da Educação. Programa Gestão da Aprendizagem Escolar - Gestar II. Matemática: Caderno de Teoria e Prática 6 - TP6: Matemática nas migrações e em fenômenos cotidianos. Brasília: MEC, Secretaria de Educação Básica, 2008. p.93-102.

NACARATO, A.; GRANDO, R. A análise de aulas videogravadas como prática de formação professores que ensinam Matemática. In: POWELL, A. B. (Org.). Métodos de pesquisa em Educação Matemática: usando escrita, vídeo e internet. Campinas: Mercado de Letras, 2015. p.61-94.

PAVANELLO, R. O abandono do ensino de geometria no Brasil: causas e conseqüências. Zetetiké, Campinas, ano1, n. 1, p. 7-17, 1993. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8646822. Acesso em: 13, dez. 2017.

ROBSON, Colin. Real world research. Oxford: Blackwell, 1995.

SHULMAN, L. Conhecimento e ensino: bases da nova reforma. Professores, Ensino e Formação de Professores, (Teachers, Teaching and Teacher Education), 1986.

SHULMAN, L. Knowledge and teaching: foundations of the new reform. Harvard Educational Review, Cambridge, v. 57, n. 1, 1987. Disponível em: https://meridian.allenpress.com/her/article-abstract/57/1/1/31319/Knowledge-and-Teaching-Foundations-of-the-New?redirectedFrom=fulltext. Acesso em: 1, out. 2016

SHULMAN, L. S.; WILSON, S.; RICHERT, A. E. 150 ways of knowing: representations of knowledge in teaching. In: CALDERHEAD, J. (Ed.). Exploring teachers’ thinking. Grã-Bretanha: Cassell Educational Limited, 1987. p.104-124.

SOUZA, D. B. de. Os dilemas do professor iniciante: reflexões sobre os cursos de formação. Revista Multidisciplinar da Uniesp Saber Acadêmico. [S. l.], n. 8, 2009. Disponível em: https://www.yumpu.com/pt/document/view/14833434/os-dilemas-do-professor-iniciante-reflexoes-uniesp. Acesso em: 20, maio 2016.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 2ª. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

VAN-HIELE, P. M. Structure and Insight. Orlando: Academic Press, 1986.

VEAL, W. R.; MAKINSTER, J. G. Pedagogical content knowledge taxonomies. Electronic Journal of Science Education, Reno, v. 3, n. 4, p. 1-16, 1999. Disponível em: http://wolfweb.unr.edu/homepage/crowther/ejse/vealmak.html. Acesso em: 14 jun. 2017.

VEENMAN, S. Problemas percebidos de professores iniciantes. Review of Educational Research, [S. l.], v. 54, n. 2. p. 39-68.1984.

ZAMBON, A. E. C. A Geometria em cursos de Pedagogia da região de Presidente Prudente-SP. 2010. 186f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" – FCT/UNESP. Presidente Prudente/SP. 2010. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/92306/zambon_aec_me_prud.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 20, mar. 2017.

ZORTÊA, G. A. P. Conhecimentos "de" e "sobre" Geometria de duas professoras iniciantes no contexto de um grupo colaborativo. 2018. 152f. Dissertação (Mestrado em Ensino e Processos Formativos) – Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" – FEIS/UNESP. Ilha Solteira-SP. 2018. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/154335/zortea_gap_me_ilha.pdf?sequence=3&isAllowed=y. Acesso em: 15, out. 2020.

Publicado
2021-03-27
Como Citar
Aparecida Puton Zortêa, G., & Teodoro Ciríaco, K. (2021). O AprenderEnsinar Geometria nos anos iniciais e o trabalho colaborativo no início da docência à luz da base de conhecimento para o ensino de Lee Shulman . Revista De Educação Matemática, 18, e021016. https://doi.org/10.37001/remat25269062v17id486
Seção
Ensino de Matemática, diversas possibilidades