Uma análise da produção acadêmica brasileira sobre o Estágio Curricular Supervisionado nos cursos de Licenciatura em Matemática

  • Cirléia Pereira Barbosa Universidade Cruzeiro do Sul; Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - Campus Formiga
  • Celi Espasandin Lopes Universidade Cruzeiro do Sul
Palavras-chave: Licenciatura em Matemática, Estágio Curricular Supervisionado, Mapeamento

Resumo

Este artigo apresenta os resultados de um mapeamento de pesquisas acadêmicas brasileiras, produzidas/defendidas nos últimos sete anos, em programas de pós-graduação stricto sensu nas áreas de Educação e Ensino da Capes, e que têm como foco o Estágio Curricular Supervisionado nos cursos de Licenciatura em Matemática. Busca-se responder à questão: “Quais temáticas emergem nas dissertações e teses brasileiras – no período de 2013 a 2019 – sobre o Estágio Curricular Supervisionado nos cursos de Licenciatura em Matemática?” Para realizar o levantamento dos trabalhos, recorreu-se ao Banco de Teses e Dissertações da Capes. Utilizou-se o modelo de organização proposto nos estudos de Fiorentini (2002) – a partir da formação de focos e subfocos temáticos advindos da leitura dos trabalhos – para identificar as temáticas das 45 pesquisas selecionadas. Os resultados indicam um maior interesse dos pesquisadores em estudos sobre o futuro professor de Matemática, especialmente os saberes e competências dos licenciandos e a aprendizagem da docência; um aumento das pesquisas relacionadas ao tema, sobretudo de teses de doutorado; e a necessidade repensar o estágio na formação de professores de Matemática, no sentido de articular os conhecimentos adquiridos na universidade aos conteúdos matemáticos ensinados na escola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cirléia Pereira Barbosa, Universidade Cruzeiro do Sul; Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - Campus Formiga

Doutoranda do Programa de pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática;

Professora efetiva do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais.

Celi Espasandin Lopes, Universidade Cruzeiro do Sul

Possui graduação em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade de Taubaté (1985), graduação em Licenciatura Plena Em Pedagogia pela Faculdade de Educação de Guaratinguetá (1987), Aperfeiçoamento em Matemática Pura pelo IMECC/UNICAMP, Especialização em Modelagem Matemática no Meio Ambiente pela UNESP/Guaratinguetá, mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1998), doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2003) e pós-doutorado na The University of Georgia (UGA) com financiamento Fapesp (2008). Durante o doutoramento realizou estágio de pesquisa na Universidade de Granada (Espanha) e na Universidade de Lisboa (Portugal). Foi professora colaboradora voluntária do LEM (Laboratório de Ensino de Matemática) no IMECC na Universidade Estadual de Campinas. Foi assessora junto à Divisão de Orientação Técnica da Educação de Jovens e Adultos da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo (2009 - 2012). Foi Professora Visitante na Miami University - Oxford - Ohio - USA (2015-2016), com financiamento FAPESP. Foi Vice-Presidente da Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM-Brasil) na gestão de 2016-2019. Foi Professora Titular do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Cidade de São Paulo (2017 - 2020).Atualmente é Professora Titular do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática na Universidade Cruzeiro do Sul e Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Estatística e Matemática (GEPEEM) e do Grupo de Investigação e Formação em Educação Matemática. Coordenadora do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática e Estatística (CEPEME). Coordena as coleções de Educação Estatística e Insubordinação Criativa da Editora Mercado de Letras. Tem experiência como docente e pesquisadora na área de Educação, com ênfase em Educação Matemática e Educação Estatística atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores; educação estatística; educação matemática. Membro do International Program Committee for ICME-14. É pesquisadora produtividade CNPQ, nível 2.

Referências

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Parecer CP 28, de 2 de outubro de 2001. Dá nova redação ao Parecer CNE/CP 21/2001, que estabelece a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da educação básica em nível superior, 2001.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução CNE/CP 1, de 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena, 2002.

CYRINO, M. C. C. T. Identidade Profissional de (futuros) Professores que Ensinam Matemática. Perspectivas da Educação Matemática, INMA/UFMS, v. 10, n. 24, p. 699-712, dez. 2017. Disponível em: https://periodicos.ufms.br/index.php/pedmat/article/view/5518. Acesso em: 12 jun. 2020.

FIORENTINI, D. Mapeamento e balanço dos trabalhos do GT-19 (Educação Matemática) no período de 1998 a 2001. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 25., 2002, Caxambu, MG. Anais [...]. Caxambu, MG: [s.n.], 2002. p. 1-17. Disponível em: http://25reuniao.anped.org.br/te25.htm.Acesso em: 13 ago. 2020.

LOPES, A. R. L. V. et al. Estágio Curricular Supervisionado nas licenciaturas em Matemática: reflexões sobre as pesquisas brasileiras. Zetetiké, Campinas, SP, v.25, n.1, p. 75-93, jan./abr. 2017. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8647637. Acesso em: 24 set. 2017.

MIZUKAMI, M. G. N. Aprendizagem da docência: conhecimento específico, contextos e práticas pedagógicas. In: NACARATO, A. M.; PAIVA, M. A. V. (org.). A formação do professor que ensina Matemática: perspectivas e pesquisas. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

MOREIRA, P. C.; FERREIRA, A. C. O lugar da matemática na licenciatura em matemática. Bolema, Rio Claro (SP), v. 27, n. 47, p. 981-1005, dez. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/bolema/v27n47/14.pdf. Acesso em: 06 fev. 2019.

PONTE, J. P.; CHAPMAN, O. Preservice mathematics teachers' knowledge and development. In: LYN, D. English (ed.). Handbook of international research in mathematics education. 2. ed. New York: Routledge, 2008. p. 225-263.

RODRIGUES, P. H.; CYRINO, M. C. C. T. A identidade profissional na formação inicial de professores de matemática. In: DE PAULA, E. F.; CYRINO, M. C. C. T. (org.). Identidade profissional de professores que ensinam matemática em contextos de formação. São Paulo: Pimenta Cultural, 2020. p. 69-95.

ROMANOWSKI, J. P.; ENS, R. T. do tipo “As pesquisas denominadas estado da arte” em educação. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 6, n.19, p.37-50, set./dez. 2006. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/24176. Acesso em: 17 ago. 2020.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA (SBEM). Subsídios para a discussão de propostas para os cursos de Licenciatura em Matemática: uma contribuição da Sociedade Brasileira de Educação Matemática. Brasília: SBEM, 2003.

TEIXEIRA, B. R.; CYRINO, M. C. C. T. O desenvolvimento da identidade profissional de futuros professores de Matemática a partir da supervisão de estágio. EM TEIA – Revista de Educação Matemática e Tecnológica Iberoamericana, v. 5, n.2, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/index.php/emteia/article/view/2202. Acesso em: 23 mar. 2019.

Referências dos trabalhos analisados

ACEVEDO RINCON, J. P. Aprendizagens profissionais docentes do (futuro) professor de Matemática situadas em um estágio interdisciplinar. 2018. 282 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2018.

ALMEIDA, A. P. S. Diário no Google Docs: possibilidades de reflexão sobre a prática de estágio curricular. 2013. 218 f. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Formação de Professores) – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Jequié, 2013.

BACURY, G. R. Práticas investigativas na formação de futuros professores de matemática. 2017. 188 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemáticas) – Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, Belém, 2017.

BARROS, R. A. Entre viagens e viajantes: compreendendo espirais de experiências de licenciadas em Matemática no Estágio Curricular Supervisionado. 2018. 280 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemáticas) – Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, Belém, 2018.

BEMME, L. S. B. Como entendemos a Matemática ensinada nos anos iniciais? Com a palavra os licenciandos em Matemática. 2015. 197 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria (RS), 2015.

CAVALHEIRO, G. C. S. Resolução de problemas e investigação matemática: um processo de intervenção formativa para licenciandos em Matemática. 2017. 196 p. Tese (Doutorado em Educação para a Ciência) – Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2017.

CORSO, B. O compartilhamento de ações de estágio como espaço de formação: contribuições da teoria da atividade. 2018. 90 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2018.

COSTA, P. K. A. A construção da identidade profissional do futuro professor de matemática formado a distância no contexto do estágio. 2018. 255 f. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática) – Instituto de Física Gleb Wataghin, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2018.

D' ANTONIO, S. R. Comunicação e saberes docentes: uma reflexão sobre o curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Estadual de Maringá. 2013. 202. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática) – Centro de Ciências Exatas, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2013.

DAUANNY, E. B. O estágio no contexto dos processos formativos dos professores de Matemática para a Educação Básica: entre o proposto e o vivido. 2015. 375 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

DIAS, R. C. Práticas letivas na formação inicial de professores de matemática: as contribuições do ensino exploratório na construção do conhecimento profissional. 2018. 221 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Universidade Anhanguera de São Paulo, São Paulo, 2018.

EIDAM, Adriane. O estágio curricular supervisionado de futuros professores de matemática na perspectiva colaborativa. 2019. 120 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Cuiabá, 2019.

EVANGELISTA, C. R. Saberes para ensinar matemática no estágio supervisionado da licenciatura em matemática da UNEMAT – Campus de Sinop (1990 – 2016). 2019. 194 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemática) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, 2019.

FREITAS, R. L. A influência de organizações didáticas no trabalho matemático dos estagiários da licenciatura: um estudo da função exponencial. 2015. 174 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2015.

GONÇALVES JÚNIOR, M. A. Perscrutando diários de aulas de matemática do estágio supervisionado da licenciatura em matemática: reorientando histórias e investigações. Tese (Doutorado em educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas (SP), 2015.

IGNÁCIO, R. S. Criação de capítulo de livro didático digital no estágio curricular supervisionado: uma análise da documentação na formação inicial do professor de matemática. 2018. 171 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Universidade Anhanguera de São Paulo, São Paulo, 2018.

KRAUSE, E. V. O estágio curricular supervisionado na licenciatura de matemática: um estudo sobre a formação de futuros professores. 2015. 167 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2015.

LEITE, A. S. Estágio supervisionado e a formação inicial do professor de matemática: saberes docentes e afetividade. 2014. 183 f. Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Formação de Professores) – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Jequié, 2014.

LEVY, L. F. A formação inicial de professores de Matemática em Atividades investigativas durante o estágio. 2013. 232 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemáticas) – Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, Belém, 2013.

LIMA, V. S. A. Tecendo a constituição identitária do professor de matemática narrado nos memoriais. 2017. 133 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) – Universidade do Estado de Mato Grosso, Barra do Bugres, MT, 2017.

MARQUES, A. B. A. Um estudo dos conhecimentos de futuros professores de matemática para o ensino de números racionais. 2018. 239 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Universidade Anhanguera de São Paulo, São Paulo, 2018.

MARTINS, P. B. Estágio curricular supervisionado: um panorama de produções do XII encontro nacional de educação matemática-ENEM. 2017. 178 f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Ensino de Ciências) – Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo, 2017.

MATTOS, L. J. G. O estágio supervisionado a distância: proposta, organização e prática no contexto da Licenciatura em Matemática a distância da UFV. 2017. 134 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Departamento de Educação, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2017.

MELO, M. V. As práticas de formação no estágio curricular supervisionado na licenciatura em matemática: o que revelam as pesquisas acadêmicas brasileiras na década 2001-2010. 2013. 406 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2013.

MORAES, F. R. F. História de vida e formação docente: o estágio supervisionado no curso de licenciatura em Matemática da Universidade Regional do Cariri – URCA. 2016. 195 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Fortaleza, Fortaleza, 2016.

MOTA, H. D. F. Desenvolvimento profissional de futuros professores de Matemática na exploração de um acaso multimídia na perspectiva do ensino exploratório. 2016. 151 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2016.

NEGRÃO, F. C. Competências e habilidades do educador matemático: um diálogo a partir do estágio supervisionado. 2018. 100 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências na Amazônia) – Universidade do Estado do Amazonas, Manaus, 2018.

NEVES, S. S. M. Práticas epistemológicas de estágios curriculares de Matemática: o caso da produção científica e pedagógica de um Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas. 2017. 146 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemática) – Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Universidade Federal do Pará, Belém, 2017.

OLIVEIRA, C. M. S. A investigação matemática com o Geogebra no estágio com pesquisa do curso de licenciatura em Matemática da UEG/Iporá. 2015. 276 f. Dissertação (Mestrado em Educação para Ciências e Matemática) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás – Campus Jataí, Jataí, 2015.

PERLIN, P. Constituindo-se professor de matemática: relações estabelecidas no estágio curricular supervisionado, determinantes da aprendizagem da docência. 2018. 323 f. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Educação, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, 2018.

QUADROS, V. C. Os saberes docentes mobilizados e desenvolvidos no estágio curricular supervisionado do curso de Licenciatura em Matemática do IFMT Campo Novo do Parecis. 2017. 164 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) – Universidade do Estado de Mato Grosso, Barra do Bugres, 2017.

RIBEIRO, D. F. Cartografia dos saberes, práticas e formação dos professores das disciplinas do eixo de Práticas e Estágio nos Cursos de Licenciatura em Matemática da UECE – Campus do Itaperi e FECLESC. 2016. 131 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro de Educação, Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2016.

SAKAI, E. C. T. Um panorama das pesquisas sobre as práticas de Estágio Curricular Supervisionado em Matemática nas regiões norte, nordeste e centro-oeste do Brasil. 2014. 182 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Campo Grande, 2014.

SCALABRIN, T. B. De estudante a professor: a formação do futuro professor de matemática no contexto do estágio supervisionado. 2018. 166 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática e Ensino de Física) – Centro de Ciências Naturais e Exatas, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2018.

SILVA, I. M. A relação do professor com o saber matemático e os conhecimentos mobilizados em sua prática. 2014. 215 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemáticas) – Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, Belém, 2014.

SILVA, J. C. Influência de fatores significativos para o estágio supervisionado na licenciatura em matemática no município de Fortaleza/CE. 2018. 144 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.

SILVA, J. S. C. Práticas de formação da EJA: as vozes entrecruzadas de professores de Matemática e de licenciandos no Estágio Supervisionado. 2014. 297 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2014.

SILVA, M. M. Estágio Supervisionado: o planejamento compartilhado como organizador da atividade docente. 2014. 246 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2014.

SILVA, M. M. A apropriação dos aspectos constituintes da atividade pedagógica por professores de matemática em formação inicial. 2018. 307 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemática) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2018.

SILVA, M. R. A. Refletindo a partir da prática: contribuições da formulação e resolução de problemas no estágio supervisionado. 2015. 217 f. Mestrado (Ensino de Ciências e Matemática) – Centro de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande, 2015.

SILVA, S. R. P. Vídeos de conteúdo matemático na formação inicial de professores de Matemática na modalidade a distância. 2018. 247 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2018.

TEIXEIRA, B. R. O estágio supervisionado e o desenvolvimento profissional de futuros professores de matemática: uma análise a respeito da identidade profissional docente. 2103. 184 f. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Educação Matemática) – Centro de Ciências Exatas, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2013.

VIEIRA, R. F. Prática de ensino e estágio supervisionado na Licenciatura de Matemática em narrativas de professoras da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Alegre. 2016. 222f. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Educação, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2016.

ZANON, J. M. A mobilização de saberes docentes no estágio supervisionado: contribuições na/para a formação de futuras professoras de matemática. 2017. 192 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus, BA, 2017.

ZIMMER, I. Estágio curricular supervisionado na licenciatura em matemática: um componente curricular em discussão. 2017. 220 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2017.

Publicado
2021-03-26
Como Citar
Barbosa, C. P., & Lopes, C. E. (2021). Uma análise da produção acadêmica brasileira sobre o Estágio Curricular Supervisionado nos cursos de Licenciatura em Matemática. Revista De Educação Matemática, 18, e021014. https://doi.org/10.37001/remat25269062v17id483
Seção
Artigos Científicos