Uma atividade investigativa sobre polígonos: reflexões sobre imprevisibilidades que promoveram aprendizagens

  • Andressa Rubim Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo
  • Maíra Fernandes
  • Raquel Milani Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Atividades de exploração e investigação, Imprevisibilidade, Polígonos

Resumo

Este texto tem como objetivo apresentar uma reflexão acerca da imprevisibilidade nas aulas de Matemática. O episódio descrito, neste relato de experiência, é parte de um trabalho de conclusão do curso de Licenciatura em Matemática da Universidade de São Paulo, o qual teve como objetivo principal caracterizar uma aula de Matemática em que os alunos estivessem envolvidos em situações de investigação, exploração e descobrimento. A fundamentação teórica está pautada, principalmente, nos trabalhos de Ponte (2003), Ponte, Brocardo e Oliveira (2016) sobre investigações nas aulas de Matemática e no trabalho de Skovsmose (2000), com os conceitos de cenário de investigação, zona de risco e zona de conforto. Como metodologia do estudo, foi implementada uma atividade de exploração e investigação sobre polígonos com os alunos de uma turma do 5º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública em São Paulo. A caracterização do desenvolvimento da atividade foi descrito, logo após a realização da aula, em um diário de campo. A partir da atividade implementada, foi possível concluir que as situações de imprevisibilidade colocam o professor numa zona de risco e essa não deve ser evitada, pois ela pode estabelecer uma forma colaborativa de trabalho entre professor e alunos e proporcionar aprendizagens também para o professor. De fato, foi o que ocorreu com a professora da turma e a licencianda, as quais ampliaram seus conhecimentos sobre a definição de polígono e aproveitaram as oportunidades que surgiram mediante a implementação da atividade para discuti-la com os alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andressa Rubim, Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo

Mestranda do Mestrado profissional em Ensino de Matemática do Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo. Licenciada em Matemática pela mesma Universidade

Maíra Fernandes

Professora da Educação Básica I da Rede Estadual de São Paulo. Advogada formada pela UNIVEM-Marília/SP em 2005 e Pedagoga formada pela Universidade Anhanguera-Marilia/SP em 2015. Educadora desde 2012. Em 2016 efetivou-se na Rede Estadual de São Paulo, na escola E.E Prudente de Moraes, Bom Retiro, São Paulo/SP. Participou de cursos de extensão em Educação e Metodologia do Ensino da Matemática e atualmente participa do grupo de estudo GdS da FE/Unicamp.

Raquel Milani, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo

Professora Doutora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, do Programa de Pós-Graduação em Educação da mesma universidade e do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências da Universidade Federal do Rio Grande

Referências

D’AMBRÓSIO, Beatriz. Como ensinar Matemática hoje? Temas e Debates. Sbem, Brasília, v.1, n.2, p. 15-19, mar.1989.

ECHEVERRÍA, María del Puy Pérez; POZO, Juan Ignacio. Aprender a Resolver Problemas e Resolver Problemas para Aprender. In: POZO, Juan Ignacio (org.). A Solução de Problemas: aprender a resolver, resolver para aprender. Porto Alegre: ArtMed, 1998. p. 13-42.

PÓLYA, George. A arte de resolver problemas: um novo aspecto do método matemático. Tradução de Heitor Lisboa de Araújo. 1.ed. Rio de Janeiro: Interciência, 1995.

PONTE, João Pedro da. Investigar, ensinar e aprender. In: Actas do profmat. Lisboa: APM, 2003. p. 25-39. CD-ROM.

PONTE, João Pedro da et al. Investigando as aulas de investigações Matemáticas. In: ABRANTES, Paulo et al (org.). Investigações matemáticas na aula e no currículo. Lisboa: Associação de Professores de Matemática, 1999. p. 133-152.

PONTE, João Pedro; BROCARDO, Joana; OLIVEIRA, Hélia. Investigações Matemáticas na sala de aula. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2016.

PONTE, João Pedro da. Gestão curricular em Matemática. In: PONTE, João Pedro da. Investigações Matemáticas e investigações na prática profissional. São Paulo: Livraria da Física, 2017. p. 103-142.

SKOVSMOSE, Ole. Cenários para investigação. Bolema, Rio Claro, v. 13, n. 14, p. 66-91, 2000.

Publicado
2021-01-31
Como Citar
Rubim, A., Fernandes, M., & Milani, R. (2021). Uma atividade investigativa sobre polígonos: reflexões sobre imprevisibilidades que promoveram aprendizagens. Revista De Educação Matemática, 18, e021006. https://doi.org/10.37001/remat25269062v17id437
Seção
Práticas e Histórias de aulas de Matemática