Resolução de Problemas e a Educação Matemática Realística: contribuições para a Educação Financeira Escolar com Professores em Formação Inicial

Palavras-chave: Resolução de Problemas, Educação Matemática Realística, Educação Financeira.

Resumo

Este artigo tem como objetivo descrever os resultados parciais de uma pesquisa que tem como foco a Resolução de Problemas. A partir do desenvolvimento de uma atividade com alunos em formação inicial de professores, procurou-se estabelecer uma conexão entre as ideias da Educação Matemática Realística-EMR, a metodologia de Resolução de Problemas e a Educação Financeira. As situações-problema, construídas segundo os princípios da EMR, foram voltadas para a construção de conceitos, relacionando os conteúdos sobre juros, porcentagem, progressões geométricas e as ideias fundamentais que promovem a articulação entre eles, como a comparação, variação e equivalência. O estudo realizado permitiu identificar que a proposição de situações-problema, segundo os princípios da EMR, favoreceu a criação de novos problemas, novas conjecturas, o estabelecimento de conexões entre conteúdos matemáticos e a realidade social que beneficiaram a compreensão da Matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Susana Machado Ferreira, UFFS - Universidade Federal da Fronteira Sul
Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática na UFN - Universidade Franciscana, Santa Maria/RS. Mestre em Matemática pela UNIJUÍ (2001). Atua como docente na UFFS - Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Cerro Largo/RS.
Vanilde Bisognin, UFN - Universidade Franciscana
Atualmente é professora titular da Universidade Franciscana-UFN e docente no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática. Possui graduação em Licenciatura Plena Em Matemática pela Universidade Federal de Santa Maria (1971), mestrado em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1978) e doutorado em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992). 

Referências

ALLEVATO, N. S. G. Associando o computador à resolução de problemas fechados: análise de uma experiência. 2005. 370f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Rio Claro, 2005.

ALSINA, A. El aprendizaje realista: una contribución de la investigación en Educación Matemática a la formación del profesorado. In: SIMPÓSIO SEIEM: Investigación en Educación Matemática, XIII, 2009, Faculdade de Ciências da Universidade de Cantábria. Anais [...]. Santander: SEIEM, 2009. p. 119-127.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular – BNCC. Brasília, 2017.

______. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio: ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC/Semtec, 1998.

CARDOZO, D; POSSAMAI, J.P. Resolver e investigar: possibilidades para o ensino de funções exponenciais. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 10, n. 1, p. 164-183, 2019.

DE LANGE, J. Framework for classroom assessment in mathematics. Utrecht: Freudenthal Institute and National Center for Improving Student Learning and Achievement in Mathematics and Science, 1999.

FREUDENTHAL, H. Geometry between the Devil and the Deep Sea. In: Educational Studies in Mathematics, Lectures of the Comprehensive School Mathematics Project (CSMP). Conference on the Teaching of Geometry. Springer Stable, Vol. 3, No. 3/4, p. 413-435, 1971. Disponível em: http://www.jstor.org/stable/3482035. Acesso em: 04 dez. 2017

GRAVEMEIJER, K.P.E. How Emergent Models May Foster the Constitution of Formal Mathematics. Mathematical Thinking and Learning, Vol. 1, n. 2, p. 155-177, 1999. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1207/s15327833mtl0102_4. Acesso em: 20 mar. 2018.

GRAVEMEIJER, K.P.E.; TERWEL, J. Hans Freudenthal: a mathematician on didactics and curriculum theory. Jornal of Curriculum Studies, v. 32, n. 6, p. 777-796, 2000. Disponível em: http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.549.9667&rep=rep1&type =pdf. Acesso em: 05 set. 2017.

LOPES, A. J. Matemática do cotidiano: um ensaio de problematização a partir do futebol. In: Salto para o Futuro. Matemática e a relação com outros campos do saber no ciclo de alfabetização. Ano XXIV - Boletim 10, 2014. p. 22-35.

NCTM. Principles and Standards for School Mathematics. Reston, VA: National Council of Teachers of Mathematics, 2000.

NUNES, C. B. O processo ensino-aprendizagem-avaliação de geometria através da resolução de problemas: perspectivas didático-matemáticas na formação inicial de professores de matemática. Tese de doutoramento (não publicada) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Rio Claro, 2010.

______. Resolução de problemas: uma proposta didática na formação de professores. REnCiMa: Revista de Ensino de Ciências e Matemática, Edição Especial: Educação Matemática, São Paulo, v. 5, n. 2, p. 1-17, 2014. Disponível em: http:// revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/849/719. Acesso em: 29 maio 2019.

ONUCHIC, L.R. Ensino-Aprendizagem de Matemática através da Resolução de Problemas. In: Bicudo, M. A. V. (org.). Pesquisa em Educação Matemática: concepções & perspectivas, São Paulo: Editora UNESP, 1999, p. 199-220.

ONUCHIC, L.R.; ALLEVATO, N. S. G. Pesquisa em Resolução de Problemas: caminhos, avanços e novas perspectivas. Bolema, Rio Claro (SP), v. 25, n. 41, p. 73-98, 2011. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/72994/2-s2.0-84873689803.pdf?sequence=1. Acesso em: 30 maio 2019.

PAGANI, E.M.L; ALLEVATO, N.S.G. O trabalho com derivadas no ensino médio através da resolução de problemas: aspecto da avaliação. REnCiMa: Revista de Ensino de Ciências e Matemática, São Paulo, v. 7, n. 1, p. 86-101, 2016. Disponível em: http://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/1116/813. Acesso em: 29 maio 2019.

POLYA, G. Mathematical Discovery: on understanding, learning, and teaching problem solving. V. 1. New York: John Wiley & Sons, 1962.

____. A arte de resolver problemas: um novo aspecto do método matemático. Tradução de Heitor Lisboa de Araújo. Rio de Janeiro: Interciência, 1978.

REZENDE, W. M. O Ensino de Cálculo: Dificuldades de Natureza Epistemológica. 450 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

SCHOENFELD, A.H. Heurísticas na sala de aula. In: KRULIK. S.; REYS, R. E. A resolução de problemas na matemática escolar. São Paulo: Atual, 1997.

TEIXEIRA, A.C.; ALLEVATO, N.S.G.; BRITO, A.F. Abordagem dada aos logaritmos no material de apoio do Estado de São Paulo, à luz da Resolução de Problemas e do Currículo. REnCiMa: Revista de Ensino de Ciências e Matemática, Edição Especial: Educação Matemática, São Paulo, v. 7, n. 4, p. 95-111, 2016. Disponível em: http://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/1208/843. Acesso em: 29 maio 2019.

SCHROEDER, T. L.; LESTER JR, F. K. Developing and Understanding in Mathematics via Problema Solving. In: TRAFTON, P. R.; SHUTLE A. P. (ed.). New Directions for Elementary School Mathematics. Reston: NCTM, 1989, p. 31-42.

TREFFERS, A. Three dimensions: a model of goal and theory description in mathematics instruction - The Wiskobas Project. Dordrecht: Reidel Publishing Company, The Netherlands, 1987.

VAN DE WALLE, J. Matemática no ensino fundamental: formação de professores e aplicação em sala de aula. Trad. Paulo Henrique Colonese. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

Publicado
2020-05-01
Como Citar
Ferreira, S. M., & Bisognin, V. (2020). Resolução de Problemas e a Educação Matemática Realística: contribuições para a Educação Financeira Escolar com Professores em Formação Inicial. Revista De Educação Matemática, 17, e020020. https://doi.org/10.37001/remat25269062v17id265
Seção
Seção Temática: Resolução de Problemas na Educação Matemática